Pedaço de mim. devota da introspeção, sou qual Eremita em culto de silêncio. A contemplação traz-me as árvores, as flores e o mar, que abrigo nesse Lugar dentro de mim. Há momentos em que a reflexão se agita, empurrada por ventos ecléticos e transdisciplinares, verdades que o Coração grita.

Sentires. uma devoção pelos mistérios da Vida e da Natureza leva-me a mergulhar em caminhos poéticos: um poema, um pincel e um conto-de-fada... O poema e a tela são a imagética que transcende a literalidade; são Odes que sublimam a significância de um `sentir`profundo, a cumprir o fado da inspiração.

Sonhos de gaveta. nas asas do amor foi o voo da minha Criança, uma viagem que me inspirou a retratar os espelhos da alma, singelo acervo de memórias desse Lugar tão íntimo, um espaço sagrado que chamo de casulo de cetim.

Impulsos. em Arte-Cura contemplo a expressão artística como uma revelação interna, um aprimoramento do Ser; um caminho de humanização inspirado na natureza holística da arte, à qual cumpre desvendar as florestas e os labirintos internos, devolvendo a liberdade e a essência ao ser que se expressa... um caminho transpessoal de reconexão e de resgate.