Pedaço de mim. devota da introspeção, sou qual Eremita em culto de silêncio. A contemplação traz-me as árvores, as flores e o mar, que abrigo nesse Lugar dentro de mim. Há momentos em que a reflexão se agita, empurrada por ventos ecléticos e transdisciplinares, verdades que o Coração grita.

Sentires. uma devoção pelos mistérios da Vida e da Natureza levou-me a mergulhar em caminhos poéticos: um poema, um pincel ou um conto-de-fada... A imagética transcende a literalidade, vestindo a ode que sublima a significância de um `sentir` profundo, para cumprir o fado da inspiração.

Sonhos de gaveta. nas asas do amor foi o voo da minha Criança. espelhos da alma é um singelo acervo de memórias e devaneios. Existe ainda um Lugar íntimo e profundo, onde se tecem pequenos fragmentos do meu sentir: casulo de cetim.

Musa. a maternidade, as crianças, o yoga e as artes. a medicina das florestas, o aroma e a cor das ervas, a essência do chá. a ancestralidade, a sabedoria indígena e o colo da mãe Terra. a lua, o sol, as estrelas e os cometas. são tão fartos os caminhos que me inspiram, cada um deles uma utopia, um ponto de luz no círculo sagrado da minha Vida.